Loading...

quarta-feira, 19 de julho de 2017

TRABALHO MENSAL 3º ANOS - 3º BIMESTRE/2017

QUESTÕES AMBIENTAIS NO BRASIL E NO MUNDO:

Image result for questões ambientais contemporâneas

Grandes alterações na estrutura e função dos sistemas naturais da Terra representam uma ameaça crescente para a saúde humana e para a vida em geral em nosso planeta. Através de uma insustentável exploração de recursos naturais e humanos a civilização floresceu, mas agora corre o risco substancial, pelos efeitos da degradação, de não garantir o apoio da natureza à vida, no médio e longo prazo.

Os efeitos nocivos para a saúde humana por conta das mudanças no ambiente são muitos e graves:  as mudanças climáticas; a acidificação dos oceanos; a degradação dos solos; a escassez de água; a sobre-exploração da pesca e a perda de biodiversidade; o acúmulo de lixo tóxico inclusive resíduos nucleares; a redução das florestas e a poluição dos rios; as secas mais longas em várias partes do mundo. Tudo isso representa um sério desafio para a humanidade.
Caro (a) estudante: com base em nossos estudos em sala de aula sobre os impactos ambientais no mundo globalizado, pesquise sobre o país com o qual você foi contemplado (a) no sorteio do trabalho mensal. Após sua pesquisa, responda as questões abaixo, copie e cole no link “comentários” deste artigo. Lembre-se de colocar a fonte de onde retirou as informações, seu nome e turma. O trabalho é individual e terá valor de 5,0 pontos. As postagens devem ser feitas até o dia 07/09/2017, às 23h59. Postagens após esta data não terão valor para serem corrigidas e avaliadas. Não deixe para a última hora, faça com atenção e dedicação. Bons estudos e foco no ENEM.
Fonte: https://www.cartacapital.com.br/blogs/blog-do-grri/a-crise-ambiental-contemporanea-5192.html

DADOS QUE VOCÊ DEVE COPIAR, COLAR NO EDITOR DE TEXTO E RESPONDER. NA SEQUÊNCIA, COPIAR E COLAR NO LINK "COMETÁRIOS" DO ARTIGO REFERENTE AO TRABALHO DO 3º ANOS.


Nome do País:
Capital:
Continente: 
Número de Habitantes:

Ainda existem áreas verdes no país?

Principais Problemas Ambientais que o país enfrenta:

Programas Sustentáveis desenvolvidos no país:

Como o lixo é tratado no país?

Como é a disponibilidade de água doce potável no país?

Fonte da Pesquisa:

Nome:                                     Turma:

TRABALHO MENSAL 2º ANOS - 3º BIMESTRE/2017

O Setor Primário da economia vem diminuindo a oferta de empregos e mecanizando as suas atividades.

Image result for agricultura e pecuária


Setor Primário corresponde ao campo das atividades econômicas referente à produção de matérias-primas, que também são chamadas de “produtos primários” por serem, em geral, recursos cultivados ou extraídos da natureza e que, posteriormente, são consumidos ou transformados em mercadorias. As atividades pertencentes ao Setor Primário são a agricultura, a pecuária e o extrativismo vegetal, animal e mineral.

O conceito de Setor Primário filia-se a uma classificação teórica que segmenta a economia em três setores, dos quais o secundário corresponde à atividade industrial e o terciário, ao comércio e serviços. Tal concepção é muito utilizada por institutos de pesquisas socioespaciais e econômicas para melhor compreender e analisar o desempenho das atividades humanas, a exemplo dos estudos realizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e até mesmo pela Organização das Nações Unidas (ONU). 

O Setor Primário recebe esse nome porque, além de ser o campo que antecede os demais e por fornecer as matérias-primas para eles, foi o primeiro a constituir-se na história da humanidade, formando as bases para a constituição das primeiras civilizações. A partir das transformações sociais e estruturais, as sociedades foram desenvolvendo técnicas e formas de ação características dos setores secundário e terciário.


Com as sucessivas transformações sobre as características e uso das técnicas, que foram propiciadas pelas revoluções industriais, o Setor Primário da economia passou por profundas transformações. Inicialmente, atividades como a agropecuária e a mineração empregavam uma grande quantidade de trabalhadores, além de apresentarem uma menor disponibilidade de tecnologias em suas instrumentações. Posteriormente, sobretudo após a Terceira Revolução Industrial, cada vez mais os maquinários e novas formas produtivas foram sendo introduzidas nessas áreas, aumentando a produção e ampliando o aproveitamento dos solos.

Por outro lado, essa dinâmica diminuiu a oferta de empregos graças à substituição do homem pela máquina, deslocando a maior parte da mão de obra para o setor terciário e, consequentemente, para as cidades, em um tipo de migração que ficou conhecido como êxodo rural. Com isso, a participação do Setor Primário na economia e na geração de empregos caiu significativamente, embora as produções seguissem aumentando, principalmente em países desenvolvidos e também nos emergentes.

Existem algumas análises que não mais consideram o Setor Primário envolvendo as atividades agrícolas mecanizadas, sobretudo os latifúndios, vinculando essas ao setor secundário, uma vez que tais produções mais se assemelham às indústrias (ou agroindústrias). Vale lembrar que os órgãos oficiais não consideram essa premissa.

Apesar da menor empregabilidade em relação a tempos anteriores, o Setor Primário continua sendo de fundamental importância para as sociedades, pois é nele que são produzidos ou extraídos os recursos naturais utilizados tanto para o consumo quanto para a elaboração de mercadorias industrializadas.

Por Rodolfo Alves Pena
Graduado em Geografia

Related image

Caro (a) estudante: com base em nossos estudos em sala de aula sobre a importância do setor primário nos diversos países, realize uma pesquisa objetiva, coerente e em um a fonte confiável, sobre o setor primário do país com o qual você foi sorteado em sala de aula. Após a realização da pesquisa, preencha os dados abaixo, copie e cole estes dados no link “comentários” deste artigo. Lembre-se de colocar seu nome e sua turma no final. Corrija os erros ortográficos antes de postar. O prazo final (sem prorrogação) é até o dia 07/09/2017, às 23h59. Após esta data seu trabalho não terá valor para correção e pontuação. Valor do Trabalho Mensal individual é de 5,0 pontos. Não deixe para a última hora. Faça com atenção e dedicação. Bons estudos!   

Dados que devem ser copiados, colados e preenchidos no Editor de Texto. Depois disso, corrigido ortograficamente, copiados e colados no link "cometários":

Nome do País:
Capital:
Continente:
Número Total de Habitantes:
Principais atividades do Setor Primário:


Percentual do PIB oriundo deste setor:
Número de pessoas empregadas neste setor:
Tipo Predominante de Agricultura:
Principais produtos do Agronegócio:

Fonte de Pesquisa:
Nome:                                      Turma:













sábado, 3 de junho de 2017

PIRÂMIDES ETÁRIAS


Caro(a) aluno(a) dos 2º anos, neste link você conseguirá pesquisar e encontrar a pirâmide etária do país com o qual você foi sorteado para realizar o trabalho bimestral. Basta clicar no link abaixo e na letra do país. Na sequência, clique no país e a pirâmide aparecerá. Copie, cole e amplie um pouco a mesma. Depois imprima, recorte e cole na folha A3 na horizontal (conforme modelo rascunhado no quadro em sala de aula).

Clique aqui: http://www.populationpyramid.net/ 

Lembre-se: seu trabalho dever ter formato A3 (na horizontal) e conter as seguintes informações:

1) Pirâmide Etária em destaque;
2) Nome, capital e continente o qual o país pertence;
3) Nível de desenvolvimento do país: desenvolvido, emergente ou subdesenvolvido;
4) População predominante: jovem, adulta ou idosa?
5) Predomina mais homens ou mulheres?
6) Como estão as taxas de: fecundidade, natalidade e mortalidade?
7) Grua da expectativa de vida?
8) Problemas que o país enfrenta com tal população? Em que tipo de serviço o governo precisa investir?

FAÇA COM COERÊNCIA, CAPRICHO E DENTRO DO PRAZO ESTIPULADO EM SALA DE AULA. TRABALHOS APÓS A DATA COMBINADA NÃO SERÃO ACEITOS.

Abraço a todos e bons estudos! 

sábado, 20 de maio de 2017

PIRÂMIDES ETÁRIAS



Caro(a) aluno(a):

Assista ao vídeo sobre a pirâmide etária brasileira. Descubra a qual geração você pertence. Descubra também a geração de seus pais e avós. Na sequência, faça um comentário sem erros ortográficos. Lembre-se de colocar seu nome e também a sua turma. Este trabalho constará como 1,0 ponto extra no fechamento do 2º bimestre. Bons estudos. 

REVOLUÇÃO TÉCNICO-CIENTÍFICA

Assista ao vídeo e leia o texto:


A Revolução Técnico-científico-informacional ou Terceira Revolução Industrial entrou em vigor na segunda metade do século XX, principalmente a partir da década de 1970, quando houve uma série de descobertas e evoluções no campo tecnológico.

Essa nova etapa de produção está vinculada à inserção de uma enorme quantidade de tecnologia e informação. Essa revolução, por sua vez, está ligada diretamente à informática, robótica, telecomunicação, química, uso de novos materiais, biotecnologia, engenharia genética, entre muitos outros, que recentemente fazem parte de praticamente todos os segmentos produtivos que marcam essa etapa, assim como outros fatos marcaram as revoluções industriais do passado.


Essa revolução é um dos principais combustíveis para o desenvolvimento do capitalismo moderno e especialmente do processo de globalização que visa uma flexibilidade de informações, além de um acelerado dinamismo no fluxo de capitais e mercadorias. Trata-se da fase mais atual do Capitalismo.

Fonte: http//www.mundoeducacao.com.br

Caro aluno, durante os debates em nossas aulas, discutimos o quanto essa "onda" tecnológica atinge nosso cotidiano. É inevitável não fazer parte de toda essa "revolução técnico-científica", somos seres integrantes da mesma. Contudo, sabemos que nem todas as gerações estão aptas a lidar com tanta tecnologia. Na verdade, para muitas pessoas algumas inovações tecnológicas é como mágica, ou seja, algo extraordinário e imaginável.   

Neste espaço você poderá relatar sua experiência ao conversar com uma pessoa acima de 60 anos de idade, sobre a visão dela a respeito das inovações tecnológicas.  Como essas pessoas lidam com as tecnologias do mundo capitalista e globalizado? Há dificuldades? Qual a maior delas? Converse com essas pessoas e relate aqui um comentário sobre a conversa. Cuidado com o plágio e os erros ortográficos. Não se esqueça de colocar seu nome e sua turma no final do comentário. Bom trabalho!!


domingo, 14 de agosto de 2016

JET LEG


Jet lag é uma expressão em inglês que não possui uma tradução definida na língua portuguesa, mas é utilizada para caracterizar uma "descompensação horária" causada em um indivíduo quando troca de fuso horário. 
Em alguns casos, a palavra jet lag pode ser traduzida como um sinônimo de insônia. 

Etimologicamente, a palavra jet lag é formada pela união dos termos jet ("jato" ou "avião", em inglês) e lag ("atraso" ou "retardamento", em inglês). Representa uma alteração do ritmo biológico da pessoa quando faz longas viagens internacionais, caracterizada por problemas físico e psíquicos. Entre os principais distúrbios está a perturbação no ciclo do sono, com alterações dos hormônios, em especial a hidrocortisona. 

jet lag acontece porque o corpo humano está normalmente adaptado a ter uma determinada rotina em um período de 24 horas (acordar, comer, estudar, jantar, dormir e etc). Essa rotina é conhecida como "ritmo circadiano" e, quando uma pessoa muda drasticamente o fuso horário ambiente, descontrola a sincronia do corpo, fazendo-o ficar bastante confuso. 


Enjoos, irritação, fadiga, insônia, prisão de ventre, e outros problemas fisiológicos podem ser alguns dos sintomas causados pelo jet lag.
Fonte: www.decolar.com/dicas-de-viagem
Prezado aluno e prezada aluna do primeiro ano, após a leitura do texto acima e seus conhecimentos sobre os fusos horários, responda as questões a seguir. O trabalho deve ser realizado em dupla e terá valor de 3,0 pontos. Respostas copiadas de duplas anteriores à sua postagem não serão consideradas. Bom trabalho! Att; Prof. Vicente
Dupla: ______________________  e _______________________  Turma: ________
1) O que é de fato o "jet leg"?
2) Que sintomas o "jet leg" causa no viajante?
3) Quantos fusos horários existem? 
4) Qual o fuso principal? Onde está localizado? Qual a longitude dele?
5) Dê um exemplo de cálculo de fuso horário no mesmo hemisfério.
6) Dê um exemplo de cálculo de fuso horário em hemisférios diferentes.  


PARA QUE SERVEM OS ESTUDOS SOBRE A POPULAÇÃO?


A realização de estudos sobre a população é de suma importância e pode ocorrer em níveis regionais ou globais; o primeiro refere-se à busca por informações sobre os habitantes de um município, estado ou país; o segundo é mais abrangente, pois estabelece um agrupamento de informações, pois trata-se de pesquisas que levam em consideração aspectos populacionais de vários países, continentes e o número total de pessoas no mundo.

Conhecer as populações quanto ao número e suas condições socioeconômicas é necessário para implantação de projetos e medidas que atendam a realidade de uma determinada população. O censo, ao ser realizado, tem como objetivo conhecer o número de habitantes, os índices de crescimento vegetativo, índices de natalidade, índices de mortalidade, qualidade de vida, distribuição de renda etc., tais informações servem para que os governos realizem os orçamentos anuais direcionados aos serviços públicos, como educação, saúde, infra-estrutura, geração de emprego e muitas outras.

No ano de 2010, algumas estimativas revelaram que a população mundial já passou dos 6,9 bilhões de pessoas, existem perspectivas de que até o ano de 2050 o número de habitantes deva atingir 9 bilhões. O número de habitantes deve ser analisado por diversos motivos, especialmente para se ter conhecimento sobre os recursos oferecidos pelo planeta (água, minérios, combustíveis, solos férteis etc), além disso, é importante destacar as questões de distribuição de renda, disponibilidade de alimentos e as limitações da natureza.

O procedimento usado para analisar todos os aspectos populacionais ocorrem por meio da estatística. População corresponde ao conjunto de habitantes que vivem em um determinado lugar, que pode ser bairro, cidade, estado, país, continente, no qual são realizados questionários para obter informações acerca de distintos temas.

Através desse tipo de procedimento é possível saber o número de habitantes, estrutura etária, número de habitantes por casa, a divisão dos cidadãos por sexo, além de dados como número de TVs, que contribui para conhecer o grau de consumo dos habitantes e a distribuição de renda.

Para conhecer a configuração de uma população, cada país possui um órgão responsável por catalogar, cruzar as informações e enviá-las ao governo, pessoas e empresas interessadas. No Brasil, o órgão responsável é o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que realiza anualmente o censo para conceber dados temáticos da população brasileira.

O número total de uma população em diferentes níveis, como um bairro, município, estado, país, é denominado de população absoluta, quando um país apresenta um número elevado é chamado de populoso. Em relação ao número de habitantes, atulamente os países mais populosos são: China 1,3 bilhão, Índia 1,1 bilhão, Estados Unidos 314,6 milhões, Indonésia 229,9 milhões, Brasil 190,7 milhões, Paquistão 180,8 milhões, Bangladesh 162,2 milhões, Nigéria 154,7 milhões, Rússia 140,8 milhões, e Japão, com 127,1 milhões de habitantes.

O elevado número de habitantes do planeta não se encontra distribuído de forma equitativa, uma vez que a Ásia é o continente mais populoso com aproximadamente 4,1 bilhões de pessoas, enquanto que a Oceania possui somente 37,1 milhões de habitantes, no mundo existem vastas áreas sem ou com pouca ocupação demográfica, geralmente são lugares desérticos, áreas frias ou florestas.

Por Eduardo de Freitas - Adapatdo por PEDROSA, Vicente
Graduado em Geografia

Prezado aluno e prezada aluna: levando em conta o que já estudamos sobre as questões populacionais, pesquise no site: paises.ibge.gov.br um país de qualquer continente, preencha os dados abaixo sobre o país escolhido. A atividade é avaliativa e deve ser realizada em dupla. Valor: 5,0 pontos (Trabalho Mensal). Vale lembrar que se houver países repetidos, será considerado para avaliação apenas o trabalho que foi postado primeiro. Dessa forma, sugiro que verifique as postagens antes de escolher o seu país. Bom trabalho! Bons estudos! Prof. Vicente


Nome oficial do país:

Capital do país:
Continente: 
Área Territorial (km²):
População Total:
Densidade demográfica (hab/km²):
Taxa de Natalidade (TN):
Taxa de Mortalidade (TM):
Taxa de Crescimento Natural (TCN):
PIB:
PIB per capita:
Índice de Desenvolvimento Humano (IDH):
Expectativa de Vida: 
Curiosidade sobre o país: 
Dupla:                       Turma:


segunda-feira, 6 de junho de 2016

Mensagem para o Dia Mundial do Meio Ambiente 2016


Mensagem de Irina Bokova, diretora-geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho de 2016

A vida selvagem é uma parte fundamental da nossa biosfera. É essencial não apenas para ecossistemas saudáveis, mas também importante para a paz e para o desenvolvimento sustentável. Muitas comunidades dependem do comércio da vida selvagem, e do turismo relacionado à vida selvagem, para sua subsistência. Estima-se que um bilhão de pessoas dependem da carne de animais selvagens para a sobrevivência.
O comércio, a caça e a extração de madeira, realizados de forma ilegal, são algumas das maiores ameaças para o futuro de muitas das espécies mais vulneráveis em todo o mundo, devido à perda de habitat. Apesar de políticas favoráveis, a caça ilegal de rinocerontes na África do Sul, por exemplo, aumentou 8.000% entre 2007 e 2014, e a cada ano 30 mil elefantes são mortos por suas presas de marfim.
A proteção da vida selvagem deve ser um componente essencial de todos os esforços para erradicar a pobreza, para reforçar a segurança alimentar e para fazer avançar o desenvolvimento econômico sustentável – isso é reconhecido de forma clara na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Ter tolerância zero para com atividades ilegais é o único meio de se ter sucesso com as novas metas. Todos os atores – organizações internacionais, governos e cidadãos – devem se engajar ainda mais na luta contra o tráfico internacional ilícito de vida selvagem.
Em conformidade com a Resolução da ONU A/RES/69/314 que incita os Estados-membros a enfrentar o tráfico ilícito de vida selvagem, a UNESCO coloca uma grande ênfase na capacitação no apoio a meios de subsistência alternativos. Em cooperação com seus 102 parceiros, e com todas as partes interessadas engajadas no combate ao comércio ilegal das espécies mais próximas aos humanos, nós estamos comprometidos com a proteção dos grandes símios e de seu habitat, por meio do Projeto para a Sobrevivência dos Grandes Símios (GRASP). Na África, com o projeto das Reservas da Biosfera como Regiões-modelo para o Combate à Caça Ilegal (Biosphere Reserves as a Model Regions for Anti-Poaching in Africa – BRAPA), que conta com o apoio do governo alemão, nós temos o objetivo de combater as ameaças da caça ilegal à subsistência e o comércio ilegal. As ações do Centro do Patrimônio Mundial da UNESCO na Bacia do Congo, e em sítios marinhos como a Barreira de Corais de Belize, ilustram o nosso compromisso de preservar a vida selvagem na ampla gama de habitats abrangidos pelos sítios do Patrimônio Mundial. A mudança na forma como pensamos e como agimos quanto à preservação da vida selvagem deve ser integrada desde as fases iniciais da educação – esta é a meta do Programa de Ação Mundial de Educação para o Desenvolvimento Sustentável.

“O tempo está se esgotando para salvar algumas das espécies mais emblemáticas do mundo”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, no último mês de março, ao anunciar planos para uma Campanha de Coalizão Mundial para acabar com o comércio ilegal de vida selvagem.

O futuro da vida selvagem está em nossas mãos – agora é o momento de agir. Esta é a mensagem da UNESCO no dia de hoje.
Fonte: www.unesco.org 

quarta-feira, 18 de maio de 2016

SER ou TER??





É possível melhorar o ambiente mudando hábitos do cotidiano. Se você seguir o roteiro abaixo, também pode colaborar.

1. Economize água
Não deixe a torneira aberta mais tempo que o necessário e conserte vazamentos rapidamente. Uma única torneira pingando pouco mais de uma gota por segundo pode desperdiçar, em um dia, 46 litros de água, Troque a descarga do vaso sanitário por um modelo de 6 litros. O custo da troca é compensado pela economia de água, já que as descargas convencionais gastam, em média, 13 litros a cada uso. Outra alternativa é colocar, dentro da caixa de descarga, duas garrafas plásticas de refrigerante de 2 litros com areia dentro. A medida diminui em 4 litros consumo de água a cada uso. Construa cisternas para armazenar a água da chuva. Depois, use-a para lavar o quintal. A água do último enxágue da máquina de lavar roupa também pode ser usada para regar as plantas - os resíduos de sabão funcionam como adubo. Se tiver piscina em casa, mantenha-a coberta. Em regiões quentes, a evaporação pelo calor pode causar perda de até três centímetros de água em uma semana. Em uma piscina de 50 metros quadrados de superfície, isso equivale a 1.500 litros por semana.

2. Prefira produtos biodegradáveis
Vários produtos de limpeza e higiene contêm substâncias químicas tóxicas. Algumas demoram a se degradar no meio ambiente. Substitua produtos de limpeza à base de cloro por vinagre (para desengordurar) e bicarbonato de sódio (para limpar pias e vasos sanitários). Xampus e detergentes para louça costumam conter fosfato, nutriente que provoca crescimento acelerado de algas em rios e lagos. As algas consomem o oxigênio da água e causam mortandade de peixes.

3. Procure alimentos orgânicos
O consumo de produtos orgânicos beneficia, em primeiro lugar, a saúde. Esses alimentos não têm antibióticos, pesticidas ou metais pesados, Os orgânicos promovem também a melhoria ambiental, pois são produzidos sem o acréscimo de aditivos químicos ou pesticidas ao solo. Eles também respeitam as diferentes épocas de safra - ao contrário das monoculturas, cultivadas o ano inteiro à custa de agrotóxicos e prejuízo à biodiversidade. A dieta das sociedades modernas limita-se a cerca de cem espécies (com predominância de trigo, arroz, milho e batata). Essa falta de diversidade incentiva a monocultura e o desmatamento. Mais existem 75 mil espécies que podem ser incluídas no cardápio. Prefira produtos nativos, produzidos na região onde você mora. Se os Orgânicos forem caros, inclua pelo menos alguns produtos sem agrotóxico nas compras, é uma maneira de incentivar a produção e, no longo prazo, tornar os orgânicos mais baratos.

4. Consuma menos carne
A pecuária bovina é a maior responsável pelo desmatamento no Brasil. Além disso, a produção de suínos e aves consome grande parte da produção de grãos, o que pressiona as florestas. A suinocultura também é responsável pela contaminação de rios, lagos e represas. Um porco produz dejetos equivalentes aos de oito seres humanos. Boa parte dos peixes e produtos marinhos é capturada por meio de técnicas predatórias, como o arrastão, e 30% do que vem na rede é jogado fora depois.

5. Não crie animais silvestres
Ter espécies nativas é, em primeiro lugar, crime previsto em lei. Contribui para a extinção daquela espécie na natureza. Antes de chegar às lojas e feiras, os animais silvestres quase sempre são maltratados. Segundo a Hong. Rentas, A rede Nacional Contra o Tráfico de animais Silvestres, 38 milhões de exemplares nativos é retirada da natureza por ano no brasil. Só um em cada dez é vendido. Os outros morrem no caminho. Se a vontade de possuir um animal silvestre for incontrolável, procure um de origem legal, proveniente de criadouro comercial registrado no IBAMA. Isso vale, inclusive, para peixes ornamentais. Quase tão grave quanto manter um animal silvestre é soltá-lo de volta à natureza sem o acompanhamento de especialistas. Se não morrer, o animal pode interferir uma cadeia alimentar estável, causando danos à biodiversidade. Um exemplo são os iguanas que foram soltos na Serra do mar (Estado de São Paulo) e hoje competem com os predadores nativos. Não compre plantas nativas como orquídeas, bromélias, xaxins e palmitos sem certificado de origem. São espécies ameaçadas de extinção e só podem ser vendidas se forem cultivadas com essa finalidade.

6. Cultive áreas verdes
Cultive gramados e jardins mantendo pavimentado apenas o que for indispensável. A infiltração no solo verde faz água chegar mais lentamente a rios, córregos e represas, e isso reduz as enchentes. Se o jardim não for suspenso e estiver em contato direto com o solo, ele ajuda também a captar água para mó lençol freática. Caso a impermeabilização o por pavimento seja inevitável, ela pode ser minimizada com a construção de "mini piscinões”, ou reservatórios que armazenam água e a liberam aos poucos. A água pode ser usada também no jardim e na limpeza. A falta de áreas verdes é uma das maiores responsáveis pelas ilhas de calor nas cidades. No município de São Paulo, diferença de temperatura entre as áreas rurais e as menos arborizadas chega a 10 graus Celsius. Estudos associam as ilhas de calos à maior intensidade das chuvas: a precipitação fica concentrada e forte, e isso favorece as enchentes, Além de oferecer conforto térmico, a vegetação urbana valoriza os imóveis e atrai a fauna, sobretudo pássaros. As árvores nativas servem de alimentos e abrigo para os animais da região.

7. Diminua o uso de embalagens
Racionalize o uso de sacolas plásticas em lojas de supermercados. Não leve três sacolas se uma for suficiente. Melhor ainda é ir às compras levando uma sacola de casa. Outra opção é pedir caixas de papelão, material mais ecológico. Preste atenção à composição das embalagens. O aperfeiçoamento das técnicas de conservação de produtos fez com que novos materiais, como papéis plastificados, ficassem mais populares e eficientes. Mas essas misturas de material dificulta a degradação natural como a reciclagem. Comprar produtos a granel é outra maneira de diminuir o consumo de embalagens. Se houver a opção, escolha a embalagem mais fácil de reciclar. Em ordem de preferência: papel e papelão, vidro, lata e, por último, plástico.

8. Leia os rótulos com atenção
Além de listar os ingredientes e a data de validade, o rótulo traz a procedência. Quanto mais distante for o local de origem do produto, mais transporte, mais combustível e mais embalagens foram necessários. Veja se ele tem certificação de qualidade, como do Inmetro. Produtos de origem florestal devem ter o selo do IBAMA ou do Conselho de Manejo Florestal. Produtos agrícolas devem ser certificados pela Rede de Agricultura Sustentável (RAS). Os rótulos devem avisar se o produto e a embalagem são recicláveis ou se já são reciclados. Essa informação tem de estar clara, para que o consumidor não compre o produto achando que é reciclável, quando isso vale só para embalagem.

9. Evite produtos descartáveis
Imagine a quantidade de plástico consumido por uma pessoa que toma dois cafés e dois copos de água por dia em copos descartáveis. Em um ano, são 1.460 copos. Mantenha uma caneca no escritório para o uso individual. Cada mulher usa, ao longo da vida, cerca 10 mil absorventes descartáveis. Apenas nos Estados Unidos são jogados fora 12 bilhões de absorventes e 7 bilhões de tampões por ano. Já existem no mercado opções recicláveis.

10. Economize energia
Prefira lâmpadas fluorescentes. Além de consumir 75%menos energia, elas duram de seis a dez vezes mais que as incandescentes. Cuidado, no entanto, na hora do manuseio e descarte: algumas lâmpadas fluorescentes contêm metais pesados, sobretudo o mercúrio metálico. Prefira as nacionais às chinesas, que não seguem as mesmas restrições a esse respeito. Use melhor a luz do sol, abrindo as janelas, cortinas e persianas. Pinte as paredes internas com cores claras, que refletem a luz. O mais importante é manter o teto branco. Apague as Lâmpadas de ambientes desocupados. Use iluminação dirigida (de spots) para leitura e trabalhos manuais. Desligue da tomada equipamentos elétricos que não estiverem em uso, como TV, aparelho de som, forno de micro-ondas. Mais de 60% das habitações brasileiras usam chuveiro elétrico. Considere a possibilidade de trocar por gás. Se puder, instale energia solar. Os preços podem chegar a R$ 8 mil para a casa de uma família de com seis pessoas, incluindo coletores, equipamentos hidráulicos e mão-de-obra. Mas a energia solar oferece economia de até 35% no consumo elétrico e quase não exige manutenção. Com isso, o investimento pode ser recuperado em poucos anos.

11. Recicle lixo
Cerca de 40% do lixo encaminhado para a reciclagem volta para os lixões e aterros urbanos. Em parte, isso ocorre porque os resíduos não são reaproveitáveis por nenhuma indústria - e também voltam aos lixões. Por isso, é importante saber exatamente o que é reciclável. Anote o que é lixo comum (não-reaproveitável): papéis sujos e sanitários, papel-carbono, papel de fax, plastificados, papéis mistos (metalizados, plastificados, parafinados), etiquetas adesivas, clipes e esponjas de aço, copos de café, sacos de salgadinho, embalagens de biscoito, isopor, filme fotográfico, misturas de plásticos com metal (como as embalagens de queijo ralado), espelhos, lâmpadas, vidros planos (como vidros de janelas). O lixo orgânico( restos de comida) também devem ir para a coleta comum, a menos que haja local próximo onde seja feita a compostagem - transformação dos resíduos em adubo. O resto ( vidros, metais, papéis, e plásticos recicláveis) deve ser encaminhado para a coleta seletiva municipal ou para as cooperativas de catadores. Use papel reciclado ou certificado , disponíveis no mercado. ao usar o computador, imprima somente o necessário, aproveitamento os dois lados das folhas.

12. Tenha cuidado com resíduos perigosos
Remédios vencidos devem ser encaminhados as farmácias, que são obrigadas a recebê-los. Oficinas mecânicas devem receber pneus velhos e baterias de carro. Baterias de telefone celular devem ser encaminhadas postos de coleta (informe-se nas lojas especializadas de telefonia). Para os aparelhos comuns, como câmaras e os brinquedos, prefira pilhas recarregáveis. A empresa brasileira Apliquem oferece reciclagem para as lâmpadas fluorescentes. Um projeto de lei em tramitação na Câmara pretende obrigar os fabricantes a manter postos de coleta. Enquanto isso não ocorre, descubra se seu município tem algum serviço desse tipo, é importante cuidar para que a Lâmpada não se quebre. Embale-a num plástico e descarte-a em separado do resto do lixo. Equipamentos eletrônicos velhos, como aparelhos de som ou informática, contêm componentes poluentes. Só no ano passado, 100 milhões de computadores tornaram-se obsoletos e foram descartados no mundo. Venda ou doe os componentes eletrônicos. Pesquise na internet organizações filantrópicas que aceitam todo o tipo de eletrônico usado, desde computadores a cartuchos de tinta s vazios até televisores, videogames e celulares. Outra opção é entregar o aparelho em oficinas técnicas autorizadas pelo fabricante.

13. Evite transporte individual
Somente na região metropolitana de São Paulo, os automóveis são responsáveis por 88% do 1,5 milhão de toneladas de monóxido de carbono despejadas diariamente na atmosfera. Por isso, usar transporte coletivo (sobretudo metrô e trem) é uma importante opção em favor do meio ambiente. Avalie a possibilidade em fazer parte do trajeto em transporte coletivo (deixando, por exemplo, o carro próximo a uma estação do metrô). Procure também fazer o transporte solidário, dando carona a um colega de trabalhou na hora levar as crianças para escola. Além de não prejudicar o meio ambiente, essas são formas de ganhar tempo, economizar dinheiro e fazer amigos. Diminuir a quantidade de carros nas ruas também ajuda a melhorar o trânsito. Procure andar mais a pé ou de bicicleta.

14. Compre carros eficientes
Ao comprar um automóvel, opte por um modelo biocombustível, que também possa rodar movido a álcool. O álcool é um combustível que não agrava o efeito estufa, pois o gás carbônico emitido pelo carro é compensado pelo que os canaviais tiram de atmosfera. Apesar disso, o álcool emite outras substâncias tóxicas, como monóxido de carbono, hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio, Por isso, o ideal é optar por um carro econômico, que gaste menos combustível. Regular o motor e respeitar as manutenções e revisões recomendadas pelos fabricantes são formas de diminuir as emissões de gás carbônico em 10%. É importante, ainda, cuidar do catalisador do escapamento. Respeitar a vida útil de componentes como filtros de ar e óleo evita o acúmulo de sujeira no escapamento. (Um jeito simples de contribuir para a preservação do meio ambiente é encher o tanque do carro apenas à noite ou no início da manhã, para evitar que os vapores emanados do tanque se transformem em ozônio um gás tóxico) pela ação dos raios de sol.

15. Exerça seus direitos
A solução para problemas ambientais quase sempre depende de políticas públicas, como transporte urbano, saneamento básico ou leis que obriguem fornecedores a dar um destino para produtos e embalagens. É importante se informar e participar de campanhas especializadas e associações d bairro costumam ajudar nessas horas.



Texto divulgado por Rodrigo Martins na lista Geografia do Yahoo em 11-02-2005

CARO ALUNO E CARA ALUNA: AGORA É COM VOCÊ. APÓS TODA ESSA REFLEXÃO SOBRE SER ou TER, APRESENTE SEU PONTO DE VISTA. POSTE UM COMENTÁRIO, UMA DICA, ENFIM... PARTICIPE. NÃO ESQUEÇA DE NO FINAL COLOCAR SEU NOME E SUA TURMA.
ABRAÇO E BONS ESTUDOS. 

domingo, 6 de março de 2016

TRABALHOS DOS 2º ANOS

Os alunos das turmas da Escola E. Eng. Queiroz Júnior: 2ºA, 2ºB, 2ºC, 2ºD, 2ºE e 2ºF apresentaram o trabalho sobre a Globalização. Apesar de toda a tecnologia do mundo contemporâneo, optamos por um trabalho tradicional com cartolinas e recortes de revistas e livros. 
A ideia principal do trabalho foi retratar a globalização desde os seus primórdios até os dias atuais. Vejam as fotos...