Loading...

domingo, 5 de setembro de 2010

PERSPECTIVAS FUTURAS...

"Se tudo pode acontecer, se pode acontecer qualquer coisa,
um deserto florescer, uma nuvem cheia não chouver..."

Sonhar é algo necessário e que faz a vida ter sentido. A pessoa que não sonha e que não tem projetos para o futuro, certamente não está vivendo plenamente. Por mais que um sonho às vezes possa parecer impossível, quando você realmente quer a realização dele, ele acaba acontecendo.

Nunca é tarde para se lutar, pela felicidade nem tampouco é tarde para se acreditar na possibilidade de mudanças e de restauração. Tarde, é um conceito de tempo presente na mente cansada dos que, por fraqueza ou medo, entregam-se ao desespero e fazem sociedade com a derrota. A desistência é o caminho mais fácil dos que não gostam de lutar. A vida é uma maratona permanente, que condecora aqueles que jamais abandonam as pistas, ainda que cheias de obstáculos.

Duas forças interagem em nós, revigorando nossa mente e fortalecendo nosso espírito de luta. São elas: a auto-ajuda e a ajuda do alto. Somos parceiros de Deus no esforço para a superação de nossas dificuldades. Não que Deus precise de nós para fazer algo; nós é que precisamos fazer algo, por nós mesmos, com a ajuda de Deus.

Caro (a) aluno (a) da EJA: quero saber um pouco mais sobre as suas perspectivas futuras. O que você pensa em ser no futuro? Conte-me um pouco sobre os seus projetos após a conclusão do Ensino Médio. Pensa em fazer uma faculdade? Pensa em fazer um curso técnico ou profissionalizante? Em que área tem vontade de atuar? Relate um pouco sobre você e seus projetos. Não esqueça de colocar seu nome e sua turma.

Um abraço e bom trabalho!

A GRANDE ALMA...


Gandhi, Mohandas Karamchand (ou Mahatma) (1869-1948), líder nacionalista indiano que levou seu país a conquista da independência mediante uma revolução pacífica.

Advogado, exerceu a profissão na África do Sul, onde se envolveu na luta pela defesa dos direitos fundamentais dos imigrantes indianos. Em 1914 regressou ao seu país depois da I Guerra Mundial e iniciou um movimento de resistência pacífica invocando a satyagraha (‘abraço da verdade’, em sânscrito) contra a Grã-Bretanha. Quando o Parlamento aprovou, em 1919, as leis Rowaltt, que concediam às autoridades coloniais britânicas poderes de estado de emergência para fazer frente às denominadas atividades subversivas, o movimento se estendeu por toda a Índia. Em 1920 Gandhi empreendeu a campanha organizada de não cooperação.

A independência econômica foi o ponto culminante da luta swaraj (‘auto-governo’, em sânscrito) de Gandhi, que implicava um boicote completo dos produtos britânicos. Propôs estimular o renascimento dos processos artesanais. Converteu-se em símbolo internacional de uma Índia livre. Levava uma vida espiritual e ascética de um pregador, praticando o jejum e a meditação. Os indianos o veneravam como santo e começaram a chamá-lo de Mahatma (‘alma grande’, em sânscrito). A defesa que fez da não violência era a expressão de uma forma de vida implícita no hinduísmo.

Em 1921 o Congresso Nacional Indiano, que liderou o movimento de independência, outorgou-lhe autoridade executiva plena, incluído o direito de designar o próprio sucessor. Uma série de revoltas levaram-no a admitir o fracasso da campanha de desobediência civil.

Em 1932 Gandhi iniciou nova campanha contra as autoridades britânicas. Preso duas vezes, o Mahatma jejuou durante longos períodos em diversas ocasiões.

Em 1934 abandonou formalmente a política e foi substituído como dirigente máximo do Partido do Congresso por Jawaharlal Nehru.

Em 1944 a luta pela independência da Índia estava em sua última fase. O governo britânico havia concordado em conceder a independência com a condição de que os grupos nacionalistas rivais, a Liga Muçulmana e o Partido do Congresso, resolvessem suas diferenças. Embora contra a divisão da Índia, Gandhi terminou aprovando-a. Índia e Paquistão se tornaram dois estados independentes em 1947. Em 1948 foi assassinado por um membro de um grupo extremista hindu.
Enciclopédia Microsoft® Encarta®. © 1993-2001 Microsoft Corporation. Todos os direitos reservados.

Caros alunos do nono ano, para homenagear esta grande personalidade, montaremos um banco de dados com frases e/ou pensamentos de Gandhi. Pesquise e faça a postagem de uma frase ou pensamento de autoria de Gandhi. Lembre-se de colocar seu nome e a turma. Evite os erros ortográficos. Bom trabalho! 

O RETRÓGRADO SISTEMA DE CUBA...

Transcrito do "Blog do Programa Rádio Repórter":


A esquerda sonhadora, nos seus devaneios pode até dizer, através de fiéis simpatizantes, que a Revolução trouxe a liberdade para o povo cubano, que a nação de Fidel ficou livre do imperialismo norte-americano. Na prática só quem já viveu em Cuba ou tem algum amigo que morou em Havana sabe das limitações e restrições sociais as quais os moradores deste importante país passam todos os dias.

A Internet que no Brasil está acessível em banda larga para a população carente em lan-houses, nos grandes centros e também na maioria das residências de classe média e alta. Já em Cuba, a Internet ainda é discada e disponível apenas em horários determinados, é de uso público e passa por uma vigilância implacável.

Mesmo com todas essas barreiras, quem é sábio sempre encontra alternativas para manifestar seu livre pensamento. Este é o caso da jornalista e professora licenciada em Filosofia Yoani Sánchez (Fotos), que mora em Havana, e possui o seu blog http://www.desdecuba.com/generaciony/, espaço criado para fazer denúncias contra o regime repressor de Fidel, que agora está sob o comando do irmão Raúl Castro.

O blog Generación Y, da cubana Yoani Sánchez ganhou o prêmio na seção de Jornalismo Digital, do jornal El Pais, tendo assim sido reconhecida a inteligência e a fina habilidade com que a jornalista vem contornado as limitações à liberdade de expressão em Cuba. O que chama a atenção do mundo no trabalho da cubana Yoani Sánchez é a distinção da valentia do jornalismo de investigação, a luta em favor da liberdade de expressão e a denúncia aos horrores da guerra.

Em recente matéria concedida ao jornal O Globo, a jornalista cubana fala dos desafios postar matérias nos cybercafés, a dificuldade de acesso a rede". Só turistas e alguns privilegiados ligados ao governo podiam ler o que eu escrevia. Eles se incomodam porque falo para pessoas que precisam ouvir coisas diferentes e não apenas a versão oficial. Coisas que mais se parecem com as suas vidas e não aquela mensagem artificialmente otimista que o governo tenta passar".

Vale destacar que a jornalista cubana, mesmo com todas as restrições impostas pelo regime de Fidel, conseguiu a marca extraordinária de mais de 1,2 milhão de visitas e acessos na rede mundial de computadores, Yoani Sánchez usou de astúcia e inteligência, hoje é respeitada no mundo inteiro, não precisou xingar Fidel ou Raúl Castro, apenas expõem suas idéias de forma crítica e responsável, denunciando as mazelas do sistema sem perder a elegância e a postura. Para se fazer jornalismo investigativo, contra o sistema que está no poder, não é necessário utilizar de baixaria. Quem apela para a agressão é porque não tem argumentos consistentes para debater em alto nível, por ignorância, desonestidade ou pura maldade.

A cubana Yoani Sánchez, nos seus 32 anos bem vividos, dá exemplo de que se pode estabelecer na internet uma linguagem dinâmica, com conteúdo, independente de idioma, aonde as idéias de libertação e democracia são verdadeiramente transmitidas neste mundo globalizado.